Intensificada, campanha contra Febre Amarela abrangeu vários pontos de vacinação no fim de semana, em Campina Grande do Sul
Doses foram aplicadas em locais estratégicos da cidade, inclusive Portal da Estrada da Graciosa, em meio a alto fluxo de turistas
11/02/2019 Saúde

Desde os primeiros dias deste mês a Secretaria de Estado da Saúde (SESA) vem alertando os municípios sobre os riscos da transmissão da Febre Amarela. Mais dois casos foram confirmados de acordo com o boletim divulgado na quinta-feira (07). Os pacientes contraíram a doença em Adrianópolis, na Região Metropolitana de Curitiba, cidade que também faz divisa com São Paulo, estado que desde 2018 enfrenta um surto do vírus. Agora, são três casos confirmados da doença no Paraná. O primeiro foi no dia 29 de janeiro, em Antonina, no litoral.


Neste fim de semana, sábado (09) e domingo (10), respectivamente, equipes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) promoveram em pontos estratégicos do município a distribuição e a aplicação de centenas de doses da vacina. Além do atendimento em Unidades Básicas de Saúde (UBS), equipes volantes estiveram também presentes em pesque e pagues de Campina Grande do Sul. Profissionais do Departamento de Epidemiologia estenderam ainda a campanha para supermercados da cidade, locais de grande fluxo de pessoas.


Os locais onde a vacinação seria realizada foram previamente informados por meio de um mapa digital publicado nas redes sociais da Prefeitura de Campina Grande do Sul, compreendendo UBS e outros pontos:

 

- Unidade Henrique Ferreira - Jardim Ceccon

- Unidade Adelque Bossardi - Jardim Flórida

- Unidade Conceição M. de Andrade - Jardim Paulista

- Unidade Manoel Alves Kustel - Araçatuba

- Unidade João Hamilton Belo - Santa Rosa

- Unidade Dacyr Ribeiro - Sede

- Supermercado Santa Helena - Sede

- Supermercado Boni – Timbú

- Pesque e Pague do Toco – Rio Abaixo

- Pesque e Pague Giacomitti – Mandaçaia

- Pesque e Pague Crozetta – Cerne

- Posto da Policia Rodoviaria Estadual (PRE) – Portal da Graciosa


Campanha segue


De segunda à sexta-feira a Prefeitura de Campina Grande do Sul continua realizando a imunização contra a febre amarela no Município. As vacinas são aplicadas das 8h às 17h em dez Unidades Básicas de Saúde (UBS), em diversas localidades:


- Manoel A. Kustel (Araçatuba)

- João Hamilton Belo (Santa Rosa)

- Adelque Bossardi (Jardim Flórida)

- Conceição Maria de Andrade (Jardim Paulista)

- Dacyr Siqueira (Sede)

- Henrique Ferreira (Timbu)

- Paiol de Baixo

- Pedro Casemiro Rodrigues (Barragem)

- Professora ElviraTavares De Santana De Camargo (Jaguatirica)

- Zacarias Santana (Ribeirão)


A secretária municipal de Saúde, Silmara Giacomitti Belo, lembra que o objetivo de cada ciclo da campanha é alcançar o maior número possível de pessoas e garantir que o máximo de doses sejam aplicadas. “O intuito é ampliar cada vez mais a abrangência da vacinação para atingirmos a maior cobertura possível”, afirma.


Segundo o diretor do centro epidemiológico da SESA, João Luís Crivellaro, a imunização é indispensável. “Embora a febre amarela seja uma doença característica de regiões de matas e florestas, por conta da maior presença do mosquito transmissor do vírus nestes locais, ninguém está livre do risco de contaminação”, avalia.


Para ser vacinado, o interessado deve comparecer a uma das unidades de saúde portando cartão de vacinação, cartão do SUS e um documento de identificação com foto. Caso a pessoa não tenha cartão de vacinação, será emitido um na hora.


Na dúvida, consulte um médico


A dose pode não ser apropriada para crianças menores de nove meses de idade, portadores de HIV, pacientes com imunodepressão de qualquer natureza ou em tratamento com drogas imunossupressoras, pessoas submetidas a transplante de órgãos, com imunodeficiência primária ou com neoplasia, indivíduos com histórico de reação anafilática relacionada a substâncias presentes na vacina, como o ovo de galinha e derivados, e pacientes com história pregressa de doença do timo.

 

Mães que estejam amamentando crianças até seis meses de idade também não devem ser vacinadas, pois existe risco de transmissão do vírus. A vacina está disponível para bebês de 9 meses de até pessoas com 59 anos de idade. Pacientes fora desta faixa etária devem ter indicação médica avaliando a relação risco / benefício para a aplicação da dose. A vacina contra a febre amarela é de dose única e protege para a vida toda.